7
set

A melhor fotografia de um “disco voador” é falsa, concluem investigadores franceses

No ano de 1950 em uma fazenda localizada próxima de McMinnville, Oregon, Estados Unidos, uma senhora de nome Evelyn Trent havia acabado de alimentar seus coelhos e retornava calmamente para dentro da sede de sua fazenda, quando repentinamente disse ter avistado no céu um objeto de aparência metálica, com formato de disco, sobrevoando as redondezas de sua propriedade.

Rapidamente, gritou para que seu marido, o fazendeiro Paul Trent, viesse também presenciar aquele estranho objeto aéreo – que nunca vira antes. Paul estava naquele momento dentro da sede, e correu para fora para ver o que havia provocado o espanto de sua mulher.

Uma das fotografias que Paul Trent disse ter batido do "disco voador"

Uma das fotografias que Paul Trent disse ter batido do “disco voador”

Ao sair, disse ter presenciado o estranho objeto no céu, porém depois de um curto intervalo de tempo observando-o, retornou para dentro de casa para pegar sua câmera fotográfica e registrar aquilo que acreditava ser uma nave de outro mundo.

Antes do estranho objeto aéreo se distanciar e escapar do seu campo de visão, Paul disse ter conseguido bater duas fotos. Após mais de meio século, essas duas fotografias são consideradas por muitos investigadores como o mais importante registro de que naves espaciais de outro mundo já visitaram o planeta Terra.

O casal Paul e Evelyn Trent disseram ter visto um disco voador em 1950

O casal Paul e Evelyn Trent disse ter visto um disco voador em 1950. (Foto: Life)

Ao longo dos anos diversos estudos já foram efetuados nas fotografias, e as inconsistências da história logo afloraram aos olhos desconfiados daqueles investigadores que tem o faro em detectar histórias mal contadas.

Nova análise das fotografias

Recentemente, no ano de 2013, uma nova análise destas polêmicas fotografias foi publicada por um grupo de investigadores franceses. Este grupo desenvolveu um software para analisar fotos e vídeos de UFOs, chamado de IPACO.

Posto à prova, a eficiência do software tem conseguido demolir dezenas de registros ufológicos, demonstrando que eles são fruto de fraude ou apenas o resultado da captura inadvertida de eventos ordinários, sem nada de naves alienígenas em jogo.

Ao analisar as famosas fotos do “disco voador” do caso Trent, chegaram à conclusão de que as imagens mostravam apenas um modelo de pequenas dimensões, suspenso por um fio. Ou seja, as fotos eram uma fraude bem bolada pelo casal de fazendeiros, apesar deles nunca terem confessado em vida terem apelado para este tipo de recurso – pelo contrário: juravam ter visto no céu a nave alienígena.

Análise da fotografia do caso Trent aponta a presença de que o "disco voador" estava suspenso por um fio

Análise da fotografia do caso Trent aponta que o “disco voador” estava suspenso por um fio. (Reprodução: IPACO)

Na análise, o software IPACO não detectou diretamente o fio, porém de forma engenhosa esquadrilharam pixel a pixel a região da fotografia acima do “disco voador”, onde presumivelmente haveria sua presença, detectando-o quando comparado com os pixels da região do céu ao fundo. Na conclusão os investigadores franceses atestaram que “o resultado claro deste estudo é de que o UFO de McMinnville era um modelo pendurado por um fio”.

Referências

[1] COUSYN, Antoine; LOUANGE, François; QUICK, Geoff. The McMinnville pictures. IPACO.fr, Apr.-June 2013. Disponível em: <http://www.ipaco.fr/ReportMcMinnville.pdf>.

[2] Farmer Trent’s Flying Saucer. Life, n. 40, 26 June 1950.

Tags:, , , , , ,

23 Comments

  • JOAO HENRIQUE PEREIRA disse:

    Olá Alexandre, qual sua opiniao sobre a esfera de luz filmada em capao redondo em 1998?
    youtube titulo: menino filma ovni no capao redondo (1998)

    att

  • Carlos Balbino disse:

    Não se trata de um fio. É um fenômeno antigravitacional causado pela presença da nave em interação com a atmosfera terrestre. O ângulo da fictícia linha é perfeitamente oposto à posição do OVNI. É uma “pseudo-fenda” causada pela deformação no tecido espaço-tempo que só pode ser detectada em fotografia, registrando-se apenas sua presença, que na verdade é a ausência da matéria naquele filamento, ficando em seu lugar um tipo de antimatéria, impossível de ser vista a olho nu. O que temos aqui, na verdade é uma ação conjunta dos engenheiros nazistas dos Estados Unidos, União Soviética e Alemanha, testando seu conhecimento de tecnologia alienígena após a captura do OVNI de Roswell três anos antes. Eles estavam se aproximando do casal, e sabiam que estavam sendo vistos, mas ao se depararem com a presença da câmera fotográfica, optaram por imprimir fuga, já que uma abdução não programada poderia pôr em risco o sucesso da operação.

  • Thiago disse:

    se fosse mesmo um retrovisor a parte de baixo seria o espelho, blz… iria refletir alguma coisa, ou na foto iria ficar diferente de tudo preto, e se eles tirassem o espelho, iria ficar uma parabola , se colocasse algum contraste acho qe daria pra ver que não é solido, e tbm se for falso mesmo, eles foram muito inteligentes, nas duas fotos a trajetoria ta perfeita, a inclinação é a mesma e a visibilidade do objeto em relação as distancias coincidem.

  • Godoi disse:

    Prezado Alexandre
    Grato pelas informações. Não tenho conhecimentos técnicos para contestar o estudo feito pelos franceses. Entretanto, achei incrível a foto ser considerada falsa. Tudo pode ocorrer. Até as famosas fotos do Ed Keffell ( revista ” O Cruzeiro” ) foram consideradas falsas por divergências da luz solar. O mundo está povoado de farsantes, bem como de pessoas honestas. Todavia, gostaria de saber quais fotos de UFOS são consideradas verdadeiras pelos técnicos franceses ?
    Com apreço
    P.S: O disco de Trent está inclinado. Será que o vento agiu para inclina-lo ?

  • Carlos Ossola disse:

    Não viram o tal fio, supuseram por contraste. Todos sabem da pressão que os cientistas da NASA exercem para forçar as testemunhas a desmentirem o que viram e fotografaram. Sigo minha intuição. O que esse casal lucraria com a fraude? Eles continuaram atestando a veracidade do objeto fotografado até o fim da vida. Eu creio que disseram a verdade.

    • Sempre as mesmas malucas teorias da conspiração. E o que a NASA tem haver com este caso? Quando essa história aconteceu, em 1950, a NASA sequer existia. A NASA foi criada em 1958. A análise não se limita ao fio. Deveria dar uma olhada no relatório completo, que referencio ao final da matéria. O que escrevi aqui é apenas um resumo de um dos pontos tratados.

  • Carlos Ossola disse:

    Eu sou um tremendo cético do ceticismo crônico que envolve tudo que se refere a naves extraterrenas. De fato existem muitas falsificações, mas é do conhecimento dos entendidos a preocupação dos cientistas da NASA e da Cia em manterem sigilo em torno dos fatos comprovados, usando a estratégia de ameaçar os contatados e aqueles que possuem provas reais do fenômeno, obrigando, quase sempre, a desdizerem o que viram e fotografaram. Em suma, eu fico com minha intuição. Nesse caso parece um disco-voador de ótima qualidade. Que mané programa de computador coisa nenhuma, eles não viram o tal fio, supuseram por contraste com o fundo. O casal disse a verdade, o que ganhariam com a mentira? Talvez suas próprias vidas, nunca se sabe.

    • Carlos Ossola disse:

      Realmente me enganei ao citar a NASA, deveria ter dito NACA, sua antecessora e que com toda certeza deve haver colaborado para manter a todo preço a evidência que os alienígenas há muito dominam o nosso espaço. Não preciso ler a matéria adicional, pelo resumo já sei do que se trata, o velho ceticismo orquestrado pela moderna epidemia de incrédulos crônicos com surtos agudos. São um mal necessário, como plano de fundo para realçarem a realidade que sempre reina soberana no fluxo do tempo. Tá ligado?

      • Você confessa que NÃO leu o relatório da análise e não concorda com o que é dito nele. Ou seja, você discorda de algo que sequer conhece. As agências espaciais não estiveram envolvidas neste episódio. Você está criando histórias.

    • Sempre as mesmas teorias da conspiração de MIBs e etc. Este relatório citado foi feito por civis. Ele está disponível para avaliação de qualquer pessoa que queira refutá-lo. Estamos aqui nesta matéria apenas informando sua existência. Se alguém conseguir refutá-lo, ótimo, a história segue em debate. Mas, você quer fazer frente com o contraditório confessando que sequer leu o relatório e emitindo opiniões do tipo “mané programa de computador”. Você é um curioso, sem compromisso em apurar nada.

  • Edu disse:

    Blz, não sou perito, mas por um fio de nylon o objeto ficaria pendurado por ser muito flexível, e não como está na foto com a impressão de estar “planando lateralmente”.. ok não foi dito que tipo de fio sustentava ele… então pra ficar com essa impressão pra mim teria que ser um fio rígido, logo deveria ter aparecido na foto, e outra seja qual for o fio, onde ele está amarrado? Nos fios do poste???
    Ahh já sei.. o cara pegou uma vara de pesca com 3 metros de altura, amarrou um fio de nylon transparente, e a esposa enquanto segurava ele enquadrou e fotografou…

    • Edu, o relatório completo de 34 páginas pode ser lido originalmente aqui (em inglês): http://www.ipaco.fr/ReportMcMinnville.pdf. Eles desenvolveram um módulo do software para detectar a presença do fio. De acordo com a análise, o fio está amarrado justamente em um daqueles dois cabos de energia que são vistos atravessar as fotos. O resultado final da perícia é de que o tal “disco voador” é um modelo de pequenas dimensões pendurado por um fio.

      Esta matéria que escrevi aqui tratou apenas da questão do fio, mas a perícia abordou vários outros tópicos, como a demonstração pela fotometria de que aquele objeto não está longe, mas sim próximo da câmera, independente da presença de um fio.

  • Simon de la Reza disse:

    Já li o trabalho desse grupo francês. Tem muitos dados técnicos, então entendo que ficou difícil resumi-lo. Alguém lançou a ideia – que acho mais provável – que o casal Trent fotografou um modelo de luminária suspendido entre os fios.

    • Este relatório francês afirma justamente que o OVNI das fotos dos Trent é apenas um modelo de pequenas dimensões, pendurado por um fio. Modelos de alguns retrovisores de automóveis daquela época são muito semelhantes ao OVNI que aparece nas fotos dos Trent. Digite no “Google Imagens” a expressão Trent UFO mirror e verá alguns exemplos. O ufólogo Brad Sparks tentou derrubar este estudo, mas o grupo francês revisou alguns cálculos, não alterando praticamente nada, e a conclusão permanece a mesma: fraude!

  • Antonio Souza disse:

    Voce respondeu para o rapaz ai de cima que o software detectou o fio. Mas na reportagem você diz que ele não detectou o fio???
    Sou contra os ufólogos que dizem que tudo é UFO, mas sou contra aos inca;eludas que dizem com veemência que estamos sozinhos no universo. Ninguém é dono da verdade.

    • Na reportagem eu disse que não detectou *diretamente* o fio, mas na linha imediatamente de baixo do texto disse que detectou-o quando comparado com os pixels da região do céu ao fundo. Captou a diferença? Quanto à questão de estamos sozinho no universo, isto sequer foi tratado neste artigo. Uma foto de disco voador pode ser falsa, mas isto não inviabiliza a possibilidade de existir uma civilização alienígena em algum lugar do cosmos.

  • joao disse:

    sim cara, um fazendeiro e sua esposa nos anos de 1950 tiveram a grande ideia (por que eles não tinham nada para fazer o dia inteiro) de tirar duas fotos do céu , depois com seu comprador e notável sabedoria em computação e efeitos especiais, ele fraudaram a foto !
    desculpa cara, mas duvido muito que tenha ocorrido isso.
    eles eram fazendeiros, e muito provavelmente não tinham uma mente deturpada como aa nossa de hoje , com um monte de pseudo cientistas e pseudo mestres em informática achando que sabem muito do mundo e do universo, criando programas muitas das vezes falhos para tentar dizer se uma foto e ou não real….
    duvido que o fazendeiro tinha qualquer intenção de ganhar fama ou dinheiro com isso, desculpa, era 1950 cara, qual a necessidade disso ?
    a nave não parece nem um pouco falsa, pelo menos para quem já avistou naves, e possível ver a semelhança notavelmente .

    • Em 1950 não havia computadores pessoais e nem softwares editores de fotos, portanto não poderia ter sido utilizado este recurso para produzir a fotografia – e nem foi dito aqui que este procedimento foi empregado. Pessoas podem criar fotos de discos voadores, de fantasmas e de monstros do Lago Ness sem ter em mente interesse financeiro ou fama; elas podem apenas fazer por diversão ou por que simplesmente não tinham nada pra fazer no momento.

      Em um dia qualquer do ano de 1950, numa área rural, alguém pode ter ficado entediado de alimentar suas galinhas, e resolveu brincar com sua câmera. Pegou um retrovisor de um velho caminhão (modelo parecido com o que aparece nas fotos) para ser uma nave alienígena e o pendurou por um fio. Sim, a foto ficou bem convincente, provavelmente pelo descampado ao fundo que dá a impressão de que a “nave” está ao longe, quando, segundo a recente análise, ela estaria bem próxima do fotógrafo.

      Se você diz que o software é falho, então deveria reportar tecnicamente qual a falha dele. A presença do fio foi detectada na perícia.

    • Willian disse:

      Cara, você mesmo sitou todos os motivos do porque eles fariam isso e fazendeiro não é sinônimo de humildade, que eu saiba sempre foi motivo de vergonha por serem pobres, pelo menos antigamente nos EUA.

      • BRASUFO disse:

        Primeiro que é CITOU.
        segundo que ele não citou NADA sobre um motivo porque eles teriam feito isso.
        Terceiro que eles nunca ganharam UM CENTAVO com isso.
        Quarto NUNCA no EUA se foi motivo de vergonha ser fazendeiro. Isso é no BRASIL. Se informe melhor ai amigão.

        • Ganharam mídia da revista LIFE da época. Dinheiro não é condição obrigatória para pessoas fraudarem fotos de discos voadores. Estamos falando de 1950, época que nem todos tinham uma máquina de fotografar.

          Para aquela época, local e contexto, a simples diversão já me parece suficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: