19
maio

Desmontando mistérios inexistentes: as estruturas alienígenas em Marte – Parte 1

Pregadores de teorias da conspiração afirmam que, décadas atrás, a maioria das fotografias das missões espaciais era escondida ao público pelas agências espaciais. Agora, no que poderíamos chamar de “neoacobertamento” ou “campanha de acobertamento a descoberto”, os conspiracionistas dizem que as fotos estão disponíveis abertamente nos sites das agências espaciais, apesar de afirmarem que aquilo que é mostrado nelas ainda continua sendo acobertado.

“Estruturas” artificiais em Marte

Mesmo que as fotografias das missões espaciais estejam hospedadas abertamente nos sites oficiais – escancaradas e disponíveis para avaliação de uma rede mundial de cientistas planetários -, os conspiracionistas dizem que a NASA, o Jet Propulsion Laboratory (JPL), o Malin Space Science Systems (MSSS), a European Space Agency (ESA), entre outras empresas e universidades parceiras, não revelam o suposto verdadeiro conteúdo de algumas delas “pra não causar pânico na população”.

Apesar de o alegado acobertamento ter adquirido novas roupagens, o velho clichê Orson Welles de pânico ainda continua atual para os neoconspiracionistas.

Uma das pessoas que anunciam ter descoberto construções artificiais de inteligências extraterrestres no solo marciano é o ufólogo e promotor de teorias da conspiração Marco Antonio Petit. Ele esteve no programa de televisão do apresentador Jô Soares, da Rede Globo, e apresentou algumas fotos das missões espaciais no planeta Marte (o vídeo de sua aparição pode ser assistido no site do YouTube). Em determinado momento, ele começa a falar sobre a fotografia que segue abaixo:

dunas-marte-original

Ele explica ao apresentador Jô Soares o que significa essa fotografia, de acordo com a análise que disse ter feito nela: “Repare isso aí. Isso são estruturas exatamente iguais que foram achadas mais de cem, fotografadas pela espaçonave da NASA, Mars Global Surveyor. São objetos que tem, mais ou menos, 30 a 40 metros no seu eixo maior. Parece ter sido construído em Marte, em série. Repare que são exatamente iguais. A NASA liberou essa foto, mas não diz absolutamente do que se trata isso.

Iglus construídos por inteligências marcianas?

Essa fotografia foi obtida pela sonda Mars Global Surveyor, em 2003. A fotografia original pode ser acessada no site da Malin Space Science Systems (MSSS), a empresa parceira da NASA que desenvolve câmaras para missões espaciais.

A câmera que a MSSS desenvolveu para essa missão, em parceria com o California Institute of Technology (Caltech), é chamada de Mars Orbiter Camera (MOC). Veja o link dessa fotografia no site oficial da MSSS: http://www.msss.com/mars_images/moc/2003/07/25/

Os “objetos” nesta fotografia estão localizados próximos à região do norte polar marciano, na coordenada 71.7°N, 51.3°W. Será que seriam iglus construídos por seres inteligentes que habitaram – ou ainda habitam – o Planeta Vermelho? Olhando os “objetos” com mais detalhe, abaixo, eles apresentam o formato de uma lua crescente, parecendo terem sido criadas por uma mesma origem:

dunas-marte-ampliada

Explicação conhecida há anos

Ao contrário do que foi informando na TV, de que a “NASA não diz absolutamente do que se trata” esta fotografia, a explicação do que é visto nela é absolutamente conhecida. Não somente a NASA, como também uma rede mundial de cientistas, seja em instituições vinculadas à agência espacial ou independentes, em universidades e centros de pesquisa pelo mundo conhecem o que significa essas “estruturas”. Qual seria a explicação para o que é visto nesta fotografia?

Eis a revelação do mistério que nunca existiu: essa fotografia mostra apenas dunas de areia no solo marciano. Cientistas estudam as dunas marcianas e sua dinâmica de formação há décadas. Essas imagens, bem como outras que também mostram diferentes morfologias de dunas no solo marciano, já foram e ainda são estudadas por geólogos, por físicos e por outros cientistas planetários.

As dunas mostradas nessa imagem são classificadas como do tipo barcanas e, realmente, elas foram “construídas” por meio de uma mesma origem: o vento. Não há nenhuma inteligência marciana presente aqui.

Bastaria uma simples olhada no terreno adjacente a este campo de dunas barcanas para notar que as “estruturas” começam a ficar bem menos interessante, como estivessem se “aglutinando”. Através da dinâmica eólica e de outras variáveis envolvidas na formação das dunas, elas vão adquirindo morfologia diferente daquelas observadas apenas em uma seção da fotografia. É o que podemos notar na região que demarquei de vermelho, adjacente ao campo de dunas:

duna-barcana-marte-continuacao

Maior qualidade da imagem das dunas

A sonda Mars Global Surveyor com a câmera MOC foi lançada em 1996. As imagens apresentadas aqui são da tecnologia daquela época. Entretanto, em 2005 foi lançada outra missão a Marte, a sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO).

Uma das câmeras que ela levava era a HiRISE (High Resolution Imaging Science Experiment) e foi possível obter imagens em melhor qualidade das dunas. A câmera HiRISE foi desenvolvida pela empresa Ball Aerospace & Technologies sob a direção do Laboratório Lunar e Planetário (Lunar and Planetary Laboratory, LPL) da Universidade do Arizona.

Na ilustração abaixo, podemos ver a comparação da resolução das duas câmeras, MOC e HiRISE, e constatar a superioridade da última:

resolucao-moc-hirise-sondas

Por meio do software de visualização das fotografias obtidas pela câmera HiRISE, selecionei uma região próxima daquela em que se encontram as dunas barcanas fotografadas em 2003 pela câmera MOC da missão Mars Global Surveyor.

Podemos ver com mais detalhes as dunas barcanas, situadas na coordenada 73.62°N 328.23°E. No canto superior esquerdo da tela abaixo, podemos ver uma faixa da região que mostra centenas de dunas de areia. A região selecionada pelo retângulo azul é a que está ampliada:

duna-barcana-hirise2-marte

As dunas de areia são formadas em várias regiões do planeta Marte. Nesta outra região que selecionei, na cratera Arkhangelsky, localizada na coordenada 40.86°S, 335.03°E, podemos ver em detalhes mais dunas barcanas: Continue lendo. Ir à parte 2 

duna-barcana-hirise-marte

Continue lendo. Ir à parte 2 

Tags:, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: