Alexandre de Carvalho Borges – Setembro de 2012

Os vídeos mostrados abaixo foram apresentados ao mundo pelo casal de pesquisadores luxemburgueses de imagens e vozes paranormais, Maggy e Jules Harsch-Fischbach. Os vídeos foram divulgados por eles na década de 80 e 90 e alegaram ser originários de um mundo espiritual, onde viveriam os espíritos dos homens e mulheres que faleceram aqui na Terra.

Vídeos clássicos

Estes vídeos são clássicos da área da Transcomunicação Instrumental (TCI) e, ao mesmo tempo, polêmicos. Recai sobre o casal acusações de fraudar várias imagens de alegada origem espiritual, de fabricar textos para fingir serem oriundos do Além e também de simular o recebimento de telefonemas atribuídos a espíritos.

Na década de 90 alguns pesquisadores chegaram a receber esses telefonemas de supostos espíritos, principalmente de um interlocutor que se identificava como sendo o espírito do lendário pesquisador letão Konstantin Raudive, pioneiro das pesquisas do fenômeno da voz eletrônica (EVP) da década de 70.

Jules e Maggy Harsch-Fischbach foram acusados de fraude, mas se defenderam

Nenhuma dessas acusações de fraude foi efetivamente provada como procedente. O casal se defendeu das denúncias e alegou que tudo que apresentaram ao mundo – fruto de suas pesquisas – era autêntico.

Se não há fraude aqui, poderíamos pensar realmente em ilibados e honestos pesquisadores que se equivocaram e captaram apenas algumas transmissões terrestres pela televisão, pensando serem de um mundo espiritual?

A nitidez das imagens, principalmente nos vídeos de pombos e gatos vistos abaixo, tende sempre ao mais exigente pesquisador de uma vida após a morte questionar se esses registros não seriam apenas captações espúrias de transmissões terrestres.

Como provar? De acordo com o casal, algumas gravações de vídeo foram acompanhadas da recepção de vozes espirituais pelos gravadores – que mencionaram sobre o envio dos vídeos -, permitindo ter uma prova cruzada de que os mesmos não seriam sinais espúrios, oriundas de uma transmissão terrestre quaisquer.

Se não houve fraude e nem equívoco, poderiam ser os vídeos um produto da exteriorização da própria mente do experimentador, como proclama a tese parapsicológica da escotografia? Devemos notar que aventar a tese da Parapsicologia para resolver o enigma dessas imagens é não menos complexo quanto explicá-la pela tese do fantasma.

Em suma, qual a explicação para esses vídeos? Fraude? Captações de transmissões terrestres? “Energias” desconhecidas exteriorizadas do corpo? Imagens de um mundo paralelo? Ou algo a mais? Como nada ficou provado até hoje, eis os vídeos para avaliação.

O vídeo abaixo mostra um homem que, segundo o casal Harsch-Fischbach, seria o falecido escritor Richard Francis Burton.

O vídeo abaixo mostra o que seria uma mulher movimentando o rosto e a boca. De acordo com o casal Harsch-Fischbach, a mulher foi identificada como sendo a pesquisadora de TCI Hanna Buschbeck, com a idade mais jovem de quando faleceu.

 

 

Pesquisadora Hanna Buschbeck com idade avançada (esquerda) e sua suposta imagem de um mundo espiritual, mais jovem.

 

O vídeo abaixo mostra o que seriam pombos em um mundo espiritual.

 

 

O vídeo abaixo mostra o que seria uma mulher saindo do mar e mandando um beijo para a câmera. De acordo com o casal Harsch-Fischbach, a mulher foi identificada como uma pessoa de nome Maria Jakubowski.

 

 

O vídeo abaixo mostra o que seria o rosto de um homem, movimentando-se para a direita. O homem seria, segundo o casal Harsch-Fischbach, do falecido químico Henry St. Claire Deville.

 

 

O químico St. Claire Deville (esquerda) e sua suposta imagem no mundo espiritual.

 

O vídeo abaixo mostra o que seriam gatos em um mundo espiritual.

 

 

(2)(1)